Notícias

Sinteal cobra Governo do Estado e denuncia “política de desvalorização” contra a educação

30/01/2014
Publicado em Notícias | 6 comentários

Diretoras/es do Sinteal participaram, na tarde/noite desta 3ª feira (28/01), de uma audiência com o governador e com a secretária de Estado da Educação, onde ficou, infelizmente,  mais uma vez demonstrada a falta de compromisso do Executivo estadual em relação ao cumprimento dos diversos “pontos pendentes” da pauta de reivindicações de 2013:

  • Realinhamento da carreira (PCC do magistério);
  • Revitalização da previdência pública estadual;
  • Pagamento do rateio sem desconto da previdência;
  • Retomada do curso Profuncionário, e
  • Aplicação imediata de 1/3 de hora-atividade (cumprindo a Lei nº 11.738/2008 – Piso do Magistério).

Após 01 (um) ano de espera e adiamentos da parte do governo, a audiência serviu para reafirmar a posição do governo estadual em relação à educação e seus servidores e servidoras, não satisfeito, o governador vê a “necessidade” de fazer mais um “estudo” sobre as questões apresentadas pelo Sinteal.

O limite de paciência da categoria e do Sinteal esgotou porque são inúmeras as pendências que o governo insiste vergonhosamente em não ver. Ninguém aqui está ‘brincando de educação’. O governo estadual precisa se orientar e entender que Alagoas, hoje em dia, nacionalmente e internacionalmente falando, virou sinônimo de caos, violência e índices sociais humilhantes, vergonhosos e aviltantes. A categoria e o Sinteal reafirmam sua luta contra esta famigerada política de desvalorização empregada contra a educação”, afirmou a presidenta do Sinteal, professora Consuelo Correia, logo após sair da audiência.

Consuelo alertou que, entre outras pendências, o Sinteal cobra a aplicação do 1/3 da hora-atividade e do piso nacional (esta última como referência para a carreira do magistério), além de uma decisão política de governo para capitalizar e revitalizar a previdência pública estadual e a retomada do curso Profuncionário.

Rateio

         Em relação ao chamado ‘rateio’ das “sobras” do Fundeb, na audiência, o governador confirmou o pagamento até o próximo dia 31/01 (6ª feira). ATENÇÃO: se for detectado o desconto da previdência – como já denunciamos publicamente – o Sinteal imediatamente entrará com ação judicial para corrigir esta irregularidade.

1/3 Hora-Atividade

Embora a categoria junto ao Sinteal, já tenha deliberado no último congresso da entidade, referendando na assembleia a decisão de só assumir os 2/3 de horas com os educandos, a Secretaria insiste em discutir formas de aplicação de um direito garantido desde agosto de 2011.

Vale ressaltar, que o governador do estado, em atividade pública, com a categoria, divulgou como conquista da educação a aplicação da lei.

Próxima audiência

Já está marcada para o próximo dia 17/02 (2ª feira) uma nova audiência do Sinteal com o governador, para conhecer, definitivamente, a posição do Executivo estadual quanto aos pontos pendentes da pauta da educação, entre outros o posicionamento quanto ao estudo já feito e entregue ao governo sobre o realinhamento da carreira (tabela) do magistério.

Assembleia de luta

         O Sinteal convoca os/as trabalhadores/as em educação da rede estadual para uma nova assembleia geral de luta, a ser realizada na próxima 3ª feira (04/02), às09h00, em sua sede, no bairro do Mutange. Na oportunidade, além dos informes gerais, será repassado o teor da audiência mantida com o governo estadual e tirado os próximos encaminhamentos de luta da categoria.

      Participe. Quem luta, conquista!

 

6 Comentários a Sinteal cobra Governo do Estado e denuncia “política de desvalorização” contra a educação

  1. MEDEIROS disse:

    Esse é o Sinteal que a categoria quer ver! Apoiado! Vamos a luta!

  2. Sueli disse:

    Acho vergonhoso sermos tratados como se não fossemos funcionários da educação, já me explicaram porque só os professores recebem o rateio, mas mesmo assim, não aceito a explicação. Se esse dinheiro seria pra ser usado pra educação deforma geral e não é, porque que só na hora defazer a distribuição só os professores são beneficiados. Chega a ser imoral, sei que já é errado o que tá sendo feito pois esse dinheiro deveria está sendo usado da forma a que se destina, fica a minha indignação, também somos funcionários e merecemos o devido respeito e consideração.

  3. Fábio de Almeida Uchôa disse:

    Esse governo não respeita professor ! o rateio agora só dia 31 de fevereiro . Palhaçada pura ,falta vergonha na cara vamos para greve JÁ .

  4. Antonio Pereira disse:

    A categoria precisa se posicionar para tomar uma posição justa para os professores. Da para ver que o Governo está sem levar a sério os anseios da categoria.

  5. MARISTHER MOURA VASCONCELLOS disse:

    ESTE GOVERNO NÃO TEM COMPROMISSO COM A CLASSE DO MAGISTÉRIO E DOS SERVIDORES ESTADUAIS, É LEI DO DESCASO.
    SE ESQUECEM DE QUE PARA CHEGAREM ONDE CHEGARAM, E PARA PODER SER ALGUÉM NA VIDA,ENTES TEVE QUE PASSAR PELO PROFESSOR PARA SER ALFABETIZADO E DEPOIS CONTINUO DEPENDENDO DO PROFESSOR PARA PODER SE QUALIFICAR NA VIDA.
    ATÉ A PESSOA MENOS INSTRUÍDA TEM QUE APRENDER A LER PARA PODER PELO MENOS ASSINAR O NOME.
    E AQUELES QUE APESAR DA IDADE MAS, NÃO CONSEGUEM IDENTIFICAR UMA LETRA, O PROFESSOR ESTÁ PRESENTE PARA ALFABETIZAR OS ADULTOS, É SÓ SE INTERESSAR E IR APRENDER.NUNCA É TARDE PARA SE APRENDER,BASTA, QUERER.
    ENTÃO, SERÁ QUE OS GESTORES DESTE GOVERNO SE ESQUECERAM DO QUE APRENDERAM E ESTÃO PRECISANDO RETORNAR A ALFABETIZAÇÃO!!!
    NÓS TRABALHADORES DA EDUCAÇÃO EXIGIMOS RESPEITO E DIGNIDADE PARA A NOSSA MISSÃO DE FORMAR CIDADÃOS!!!
    VAMOS RESPEITAR A SOCIEDADE ALAGOANA E TIRAR O ESTADO DO DESCASO DO NOTICIÁRIO NACIONAL. É VERGONHOSO PARA NÓS QUE TRABALHAMOS E PAGAMOS NOSSOS IMPOSTOS!!!

  6. aparecida disse:

    Os aposentados da educação ficaram mesmo de fora do rateio das sobras do fundep. É uma uma pena . Tenho uma irmã assistente social aposentada da secretaria estadual da saude que recebeu dois mil reais . Políticas diferenciadas dentro do próprio estado!

Faça seu comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>