5 de dezembro de 2017

Sinteal participa de dia nacional de luta contra a reforma da Previdência

IMG_2427Em caminhada pelo centro de Maceió, a classe trabalhadora protestou, na manhã desta terça-feira (05), em defesa dos direitos e da aposentadoria. CUT e outras centrais sindicais, movimentos de luta pela terra e outros movimentos sociais se concentraram na Praça Sinimbu desde o início da manhã com suas bandeiras e faixas, construindo a unidade para fazer a luta contra as reformas de Temer.

IMG_2465O Sinteal esteve presente com representantes da capital e de algumas regiões do interior, reafirmando o compromisso de fazer a luta. Consuelo Correia, presidenta do Sinteal, condena o projeto em andamento no Congresso Nacional. “Estamos nas ruas para dizer não a essa ‘deforma’, porque isso não é uma reforma, é, sim, um processo para deformar a nossa previdência e atingir em cheio todos os trabalhadores e trabalhadoras brasileiros, em todas as áreas e todas as profissões. A educação pública e seus trabalhadores e trabalhadoras, ninguém se engane, será atingida em cheio se não lutarmos para derrotar Temer e seus apoiadores nesse processo, já que essa reforma desconsidera, por exemplo, a importância do magistério para o país, e aumenta a desvalorização da profissão, como de resto desvaloriza todos os demais trabalhadores da área educacional. Não há saída, contra esse governo golpista, que retira direitos, a única resposta é a resistência!”, disse Consuelo.

IMG_2405A manifestação percorreu a rua do Sol, desceu pela ladeira dos Martírios, e entrou na rua do Comércio, sendo recebida pela população com manifestações de apoio. Organizado pela Frente Brasil Popular e pelo Fórum das Centrais em defesa da Previdência, o ato fez parte de uma grande mobilização nacional, onde 25 estados realizam atividades com a mesma pauta, deixando claro para os parlamentares que se votar contra a classe trabalhadora vai responder por isso nas eleições de 2018.

IMG_2493Vitória parcial, a luta continua!

Derrubar o projeto da reforma da previdência é a principal pauta de luta atualmente para a classe trabalhadora. Apesar dos retrocessos, a resposta tem sido dada nas ruas e temos conseguido evitar que seja colocado em votação. Mais uma vez, anunciaram que entraria na pauta no dia 06 de dezembro, por isso as centrais mobilizaram a população para uma GREVE GERAL. Com isso, mais uma vez o projeto saiu da pauta. A Greve foi transformada em mobilização, mas com um recado: “Se marcar a votação, o Brasil vai parar!”. A classe trabalhadora está mobilizada e preparada para fazer o enfrentamento, e provou isso nas ruas hoje.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *