29 de novembro de 2018

Descompromisso e desrespeito com a educação em São José da Tapera

A audiência de conciliação marcada pelo Tribunal de Justiça de Alagoas para o dia 27 de novembro foi finalizada sem nenhum avanço na negociação entre o Sinteal, representando os trabalhadores, e a gestão. Isso aconteceu porque o tratamento da prefeitura de São José da Tapera com trabalhadoras/es da educação da rede municipal foi de total descaso. Sem a presença de nenhum gestor, apenas um advogado compareceu à audiência para informar que não havia nenhuma proposta.

A pauta em questão é o reajuste salarial da categoria. Há dois anos com 0%, trabalhadores/as entraram em greve em julho desse ano, mas a prefeitura entrou com pedido de ilegalidade na justiça. O Sinteal está defendendo a legalidade através de seu departamento jurídico, e cobrando respostas sobre a pauta salarial, mas a falta de compromisso da gestão impõe prejuízo aos trabalhadores e consequentemente à educação do município.

O piso salarial nacional foi reajustado duas vezes nesse período, mas a gestão de São José da Tapera prova que não leva educação a sério quando nem sequer esse percentual aplica no município.

Com perdas acumuladas ao longo desses dois anos, o descaso causou indignação e revolta na categoria. “Não se dignou sequer a comparecer a audiência, é muita omissão e desprezo pela autoridade da justiça e pela importância da pauta da classe trabalhadora. Agora vamos ter que aguardar o posicionamento da justiça, já que o caminho mais fácil do diálogo e da negociação não interessam ao prefeito”, disse Darcir Acioli, secretária de assuntos municipais do Sinteal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *