2 de julho de 2019

Sinteal e profissionais vigias conseguem a suspensão da Circular Nº 07/2019 e garantem o adicional noturno

Sinteal e profissionais vigias da rede pública estadual de Educação conseguiram uma importante vitória, após, literalmente, conseguir “arrancar” uma reunião com gestores da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), no final da tarde desta segunda-feira (1º/07), que garantiu a SUSPENSÃO – por 30 (trinta) dias – da Circular Nº 07/2019, que pretende acabar com o trabalho noturno desses profissionais nas escolas de todo o estado (no período das 22 horas até as 06 horas da manhã), com a retirada do adicional noturno, em alguns casos incorporados aos salários há mais de duas décadas desses trabalhadores. A reunião foi anunciada depois de uma “vigília de luta” que começou às 08 horas da manhã dentro e fora da sede da Seduc, no CEPA.

Em reunião com a secretária executiva da Educação, Laura Souza, com a superintendente de Valorização de Pessoas, Aracelly Soares, e com o superintendente de Administração, James Darlan, o Sinteal, representado pelas diretoras Girlene Lázaro e Lenilda Lima, e representantes dos profissionais vigias de seis regionais apresentaram fundamentadas queixas quanto à Circular Nº 07, e os depoimentos dos trabalhadores foram fundamentais para que houvesse uma mudança de comportamento da Seduc. O Sinteal, porém, não abriu mão de um prazo maior de “congelamento” da Circular Nº 07, aumentando o prazo para 60 (sessenta) dias. A secretária Laura Souza disse não poder “decidir sozinha” e prometeu levar a proposta ao secretário de Estado da Educação, Luciano Barbosa, e pediu um prazo para dar a resposta em outra reunião a ser marcada posteriormente.
A diretora do Sinteal, Lenilda Lima, exaltou a luta da categoria: “Vejam a importância de todos vocês aqui na luta. Hoje já seria retirado o adicional noturno, e não foi. Esta é a primeira vitória, mas não quer dizer que a luta terminou. É preciso que vocês também tenham orgulho dos companheiros que aqui deram importantes depoimentos nessa mesa de negociação de hoje, mostrando uma realidade que os gestores desconhecem. Mas, atenção! A luta continua e a próxima etapa vai ser na Seplag [Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão], por conta das progressões e férias ”.

Nos depoimentos, os vigias informaram aos gestores que muitos deles estão há dezoito anos trabalhando na mesma escola sem a ocorrência de sinistros, e reivindicaram da Seduc a realização de cursos de formação e aperfeiçoamento, além de cobrar ao governo o que já está garantido em lei: reajuste, férias e progressões.
“O Sinteal e a categoria dos profissionais vigias lutaram por esta reunião. Abrimos com luta este canal de negociação, mas vamos continuar cobrando os encaminhamentos aqui discutidos, levando em consideração tudo o que os trabalhadores não estão tendo deste governo”, disse a diretora Girlene Lázaro.

Ao final da reunião, a secretária executiva de Educação determinou a todas as Gerências Regionais (Geres) a SUSPENSÃO da Circular Nº 07/2019.
Vencemos uma batalha, mas a luta continua!