28 de novembro de 2019

SINTEAL participa de protesto da “Frente Ampla dos Atingidos pela Braskem”

Na manhã desta quinta-feira (28), o Sinteal participou de mais um protesto da “Frente Ampla dos Atingidos pela Braskem”, organizados pelos moradores dos bairros do Mutange, Pinheiro, Bebedouro e Bom Parto, e que tomou conta da Avenida Major Cícero de Góes Monteiro (onde fica localizada a sede do sindicato). A movimentação de moradores e entidades começou às 06hs, em frente a um posto de combustíveis, no Mutange.

Com faixas, cartazes e palavras-de-ordem, os/as manifestantes (lideranças comunitárias, comerciantes, diretoras/es do SINTEAL e moradores/as em geral) mais uma vez cobraram das autoridades envolvidas na gravíssima realidade por que passam as populações desses quatro bairros as providências em relação à situação, exigindo principalmente da Braskem, indústria exploradora do sal-gema e comprovadamente causadora das falhas geológicas que estão gerando as rachaduras numa grande quantidade de imóveis nesses quatro populosos bairros, uma definição quanto às indenizações (danos morais e materiais). 

No protesto dos moradores não faltaram justas críticas à posição “em cima do muro” do Governo do Estado de Alagoas, da Prefeitura de Maceió e até em relação ao posicionamento no Poder Judiciário.

Um pequeno, mas objetivo, panfleto entregue pelos manifestantes no protesto, apontava 04 (quatro) lutas dos moradores: 1) Paralisação das atividades das minas de extração; 2) Indenização e evacuação dos moradores; 3) Estudo de todas as 35 minas de extração provocadas pela Salgema; e 4) Defesa do laudo da CPRM (Serviço Geológico do Brasil).

“O Sinteal, tendo em vista a localização de sua sede histórica e do Espaço Cultural da entidade, também está diretamente envolvido nessa luta de todos os moradores desses quatro bairros, através da organização de suas associações de moradores, da Frente Ampla dos Atingidos pela Braskem. A realidade é extremamente grave, envolve o risco iminente de perdas de vidas e de patrimônio e estamos nas ruas para denunciar, outra vez, com muita indignação, a omissão do poder público, nas esferas nacional, estadual e municipal”, disse a presidenta do Sinteal Consuelo Correia.

Segundo ela, a entidade não foi ainda comunicada oficialmente da necessidade de realocação.“Soubemos pela imprensa e dá para ver que este é o mesmo tratamento que é dado aos moradores das encostas. No nosso caso, só vamos decidir pela mudança após o detalhamento definitivo quanto à indenização ou à aluguel, com efetivas garantias, como está empenhado o nosso departamento jurídico. E a mesma justiça que exigimos no nosso caso, exigimos também para todas as famílias atingidas por essa catástrofe que já tem conhecimento mundial”.

Próxima Reunião de Luta

Na próxima segunda-feira (02 de dezembro), na sede do SINTEAL, será realizada uma nova reunião ampliada da “Frente Ampla dos Atingidos pela Braskem”, que envolve as associações de moradores dos bairros do Mutange, Pinheiro, Bebedouro e Bom Parto, igrejas, SINTEAL e moradores em geral. Na pauta, a discussão dos próximos passos da luta por indenização e justiça.

Por nossos direitos e em garantia às nossas vidas, a luta vai continuar. NÃO À OMISSÃO!

GALERIA DE IMAGENS DA LUTA