16 de setembro de 2020

Alagoas 203 Anos: QUE “EMANCIPAÇÃO” É ESSA?!

Significado do termo “Emancipação”: “Ação de ser ou de se tornar independente, livre, independente”.

Como “comemorar” uma emancipação sem a necessária VALORIZAÇÃO da educação pública e de seus trabalhadores e trabalhadoras?!

Na verdade, em vez de estarmos comemorando esta data, estamos, mesmo, é LAMENTANDO o Estado de Alagoas completar 203 Anos de uma absurda DESVALORIZAÇÃO da educação.

São mais de dois séculos de governos elitistas que, de lá para cá, sempre procuraram fazer aquilo que interessa às elites políticas.

De acordo com o Ranking de Eficiência dos Estados (REE-F) 2019, elaborado pelo jornal Folha de São Paulo e pelo instituto Datafolha, Alagoas ocupava o 20º lugar, entre os 26 estados da Federação, classificado como estado “ineficiente” nas políticas de Educação, Saúde, Segurança e Infraestrutura! No mesmo Ranking, no Grupo dos Estados do Nordeste, Alagoas ocupava a 7º posição entre os 07 estados da região, à frente apenas de Sergipe e Rio Grande do Norte.

Em julho de 2019, a Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) registrava o crescimento do analfabetismo no Brasil, e o desonroso 1º lugar” era ocupado por Alagoas, com um percentual de 17,2% (dados da pesquisa feita em 2018) dos jovens sem saber ler nem escrever, e 41% dos adultos na mesma situação.

A partir dessa realidade, o SINTEAL pergunta: qual a “emancipação” que estamos comemorando?!

Pelo jeito, a EMANCIPAÇÃO DAS ELITES POLÍTICAS NO PODER, tendo em vista um outro dado indesmentível: segundo levantamento feito pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) com base nos dados da Pnad Contínua, Alagoas tinha, ano passado [2019] a maior desigualdade de renda do País, com uma BRUTAL concentração de renda entre os 20% mais ricos!

O que estamos “comemorando”, então, nesses 203 anos de miséria, analfabetismo, violência social, desvalorização e exploração contra os/as trabalhadores/as e de concentração brutal de renda?!

O que há para “comemorar” quando o isolamento social escancara que mais de 70% dos alunos não têm acesso à internet, e o Estado não mexe uma palha para fornecer este direito, cumprir esta obrigação?!

Afinal, o que estaremos “comemorando”?!

A exploração contra os salários de fome dos/as servidores/as públicos/as (principalmente os/as aposentados/as) através do INCONSTITUCIONAL desconto previdenciário de 14%?!

Ou seria, então, a realidade de uma política de ARROCHO SALARIAL de anos e anos SEM reajuste de salários ou sequer a reposição da inflação?!

Ou a pressão desumana sobre o magistério para que esta categoria dê conta de um projeto falho de aulas remotas para o qual o Estado não procurou dar as mínimas condições?! Pressão esta que desagua no ADOECIMENTO desta categoria!

Ou a mesma desumana pressão para que os/as demais profissionais da educação (funcionários/as de escola) sejam obrigados/as a trabalhar, arriscando a vida para satisfazer os objetivos burocráticos dos gestores.

Comemorar o quê, afinal?!

Qual tipo de “emancipação” querem “comemorar” nessa história injusta de 203 Anos?!

ALAGOAS: 203 ANOS DE DESVALORIZAÇÃO DA EDUCAÇÃO!