7 de abril de 2021

1 ano sem respostas: Sinteal intensifica campanha contra desconto de 14% dos aposentados em AL

Reunião virtual do coletivo de aposentados do Sinteal realizada no dia 6 de abril

Mais uma fase da campanha contra o desconto de 14% para aposentados é iniciada pelo Sinteal neste mês de abril. Desta vez além das peças publicitárias de vídeo e imagens, do diálogo com a imprensa e do trabalho intenso dos advogados do Sinteal para que o processo seja finalmente julgado, será lançado um manifesto em defesa da dignidade e dos direitos dos aposentados, onde a população poderá subscrever e declarar o seu apoio à categoria.

Neste mês, completamos 1 ano do sofrimento dos trabalhadores e trabalhadoras aposentados da educação com 14% de desconto inconstitucional em seus salários. Mesmo com as inúmeras investidas do Sinteal, que está buscando reverter o quadro na justiça e tem feito denúncias na imprensa e nas mídias, a categoria continua sendo assaltada pelo Governo do Estado.

Margarida Rocha, secretária de aposentados do Sinteal, descreve a situação. “A realidade é desoladora. Além de estarmos vivendo a tragédia de uma pandemia vimos o nosso salário reduzir e estamos precisando abrir mão de coisas essenciais. Desde janeiro de 2020, quando foi promulgada a lei, o sindicato está contestando, denunciando. Agora vamos expor as histórias das pessoas”.

Estão planejadas ações de mídia incluindo as próprias aposentadas falando. “São famílias prejudicadas, pessoas idosas sem conseguir comprar remédio. O Governo do Estado e o Tribunal de Justiça precisam olhar para essas pessoas com mais respeito, trabalharam e contribuíram com a previdência a vida inteira e tem direito a uma aposentadoria com dignidade”.

Em reunião virtual do coletivo de aposentados do Sinteal no dia 6 de abril, com a participação dos núcleos regionais do Estado, foram apresentadas e discutidas as novas estratégias da campanha. “A injustiça continua, estamos pedindo pra que cada pessoa que está sendo vítima disso grave vídeos, envie áudio, porque vamos organizar tudo e para tornar público”, finalizou Margarida.