29 de julho de 2021

Lançamento virtual do 15º Congresso do Sinteal refletiu sobre importância de Paulo Freire nos dias de hoje

Para dar início às atividades do 15º Congresso Estadual dos Trabalhadores/as da Educação de Alagoas, o Sinteal realizou na tarde desta quarta-feira (29), a live de lançamento. O evento aconteceu de forma virtual e foi comandado pela presidenta Consuelo Correia, contando com a participação do presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores da Educação (CNTE), Heleno Araújo; presidenta da CUT Alagoas, Rilda Alves; e representantes de movimentos sociais em defesa da educação em Alagoas, Abdízia Barros (FAEJA) e Cezar Nonato (Movimento Alagoano Paulo Freire).

O tema escolhido foi “Centenário Paulo Feire, esperançar sempre!”, para reforçar a importância da educação libertadora do patrono da educação no Brasil para o momento atual. “Esperançar é ir atrás, construir, não desistir, levar adiante. Se juntar uns com os outros para fazer de outro modo. Viva Paulo Freire!”, explicou Consuelo.

Durante o lançamento, foi apresentado detalhadamente todo o formato do Congresso. “Teremos várias etapas, e todos os filiados e filiadas podem participar, haverá um afunilamento ao longo das atividades, com eleição de delegados nas etapas municipais, para a construção de um evento representativo na etapa estadual, em novembro, que será presencial”, detalhou Consuelo.

Os participantes saudaram o Sinteal pela iniciativa de realizar o Congresso e homenagear Paulo Freire, e reforçaram a importância da participação intensa da categoria. Abdízia lembrou o papel que o Sinteal tem exercido na defesa não apenas da educação, mas da vida dos trabalhadores e trabalhadoras da educação. “A quem interessa a vida dos trabalhadores e trabalhadoras da educação? Quem defende a vida e toma partido assim como o mestre Paulo Freire nos ensinou, sabe que nosso lugar é ao lado dos excluídos, dos marginalizados e dos oprimidos”.

Cezar falou sobre o papel histórico do Sinteal e da realização do Congresso. “Não é qualquer organização sindical que consegue estabelecer esse processo histórico de congressos com a magnitude que são os congressos do Sinteal. Já percebe o tamanho e a importância desse sindicato. Sinteal é importante pelo tamanho e pela presença no estado e pela atuação na defesa de um projeto de sociedade que se queira formar, numa perspectiva justa e solidária que é a educação”.

Em nome da CUT Alagoas, Rilda Alves reafirmou a educação como protagonista nas lutas da classe trabalhadora. “Não dá pra discutir transformação sem discutir educação. Mas não é qualquer educação, qualquer educação não serve para transformar o pensamento crítico do sujeito. Que olhe a realidade de cada um, e isso só é possível com um patrono como Paulo Freire”. Ela parabenizou o Sinteal e toda a educação pela resistência durante a pandemia.

Para finalizar, Heleno Araújo fez uma análise de conjuntura da realidade do país e da educação, esclarecendo as tantas perdas que a classe trabalhadora tem tido desde o golpe de 2016. “O congresso vai acontecer dentro de um contexto de pandemônio e de pandemia. Pandemônio é a associação de pessoas pra praticar o mal. E foi isso que fizeram, deram um golpe em 2016. E desde então o país vive uma situação caótica”.

Heleno reforçou com dados de pesquisas sobre a situação econômica social da população atualmente, e enumerou alguns projetos que retiraram direitos da população e da classe trabalhadora, como a reforma trabalhista, novo ensino médio, reforma da previdência e emendas constitucionais que causam arrocho nos investimentos em serviços públicos para a população.

“Temos um número cada vez maior de pessoas na miséria enquanto surgiram 11 novos bilionários no Brasil ano passado. É uma economia manipulada para favorecer ricos e poderosos”, concluiu.