16 de agosto de 2022

Prefeitura não apresenta nova proposta e assembleia decide manter greve da educação em Maceió

Em assembleia realizada na sede do Sinteal na manhã desta terça-feira (16), trabalhadoras/es da educação da rede municipal de Maceió decidiram dar continuidade à greve. Após reunião com o prefeito JHC na última quinta-feira (11), a categoria estava na expectativa de um avanço, mas a gestão enviou na manhã de hoje a mesma proposta de 6% + 2%, que foi rejeitada em assembleia anterior.

Realizada a votação, mais uma vez os 8% (6% + 2%) foram rejeitados. Desta vez por unanimidade.

Em seguida a presidenta pediu autorização à plenária para a direção do sindicato levar uma contraproposta para a mesa de negociação, com um valor que chegue aos dois dígitos mesmo que sem o retroativo. Em votação a assembleia autorizou por ampla maioria.

Outro ponto importante que foi colocado em assembleia foi a questão dos funcionários e funcionárias da educação. A vice-presidenta Célia Capistrano esclareceu. “Está tendo muita falação sobre os profissionais da educação, gente mal intencionada dizendo que eles não terão direito, que será só para os professores… Isso não existe! Estamos todos juntos, e o reajuste que tiver para um, vai ter para todos, seja merendeira, auxiliar de sala, administrativos em geral”.

A vereadora Teca Nelma estava presente na assembleia e solicitou que fosse colocada em votação uma emenda, que ela pretende apresentar na Câmara.

“A parlamentar está solicitando a retirada da educação do projeto de lei em tramitação na Câmara de Vereadores, porque concede um reajuste de apenas 4% e nós rejeitamos essa proposta. Mas ela achou importante consultar a categoria, e por isso vamos colocar para votação”, disse Consuelo ao colocar para votar. A proposta foi aprovada.

Uma nova assembleia ficou marcada para as 14h desta quarta-feira (17). “Continuamos em greve. Temos agora uma autorização para ir à mesa mais uma vez conversar com a prefeitura, mas se continuar como está vamos manter a luta”, finalizou.