18 de outubro de 2022

Sinteal, trabalhadoras/es em educação e estudantes realizam ato de protesto contra corte de recursos na educação pública

Na tarde desta terça-feira (18), o Sinteal participou do “Dia Nacional de Luta em Defesa da Educação”, que denunciou os ataques promovidos pelo (des)Governo Bolsonaro contra a educação pública, em todos os seus níveis.

Convocado pela União Nacional dos Estudantes da Educação (UNE) e pela Associação Nacional dos Pós-Graduandos, o ato público de protesto denunciou, mais uma vez, à população o Decreto 11.216, que institui um drástico CORTE de recursos na área da Educação de R$ 2,4 bi (DOIS BILHÕES E QUATROCENTOS MILHÕES DE REAIS!), que, se posto em prática, praticamente INVIABILIZA o funcionamento das universidades e institutos federais, e também atinge toda a educação pública, desde o ensino fundamental.

Mesmo com o recuo do governo federal diante da reação e da pressão das entidades da educação, dos estudantes e do povo brasileiro, a ordem é manter a mobilização e a pressão nacional para derrotar este decreto e outros ataques de Bolsonaro contra a educação, seus trabalhadoras e trabalhadoras e a população brasileira em geral, que paga impostos e tem direito a uma educação de qualidade.

Para a presidenta do Sinteal, Consuelo Correia, “o futuro da juventude, que irá gerar a riqueza do país, está em jogo. Não podemos aceitar o desmonte da educação que vem sendo promovido por esse governo genocida. Precisamos derrotar Bolsonaro no dia 30 para garantir um futuro digno aos trabalhadores, trabalhadoras e estudantes”.

PROTESTO
Com concentração, no início da tarde, na Praça Centenário, no bairro do Farol, o ato de protesto do “Dia Nacional de Luta em Defesa da Educação” reuniu entidades estudantis, sindicais e sociais.
Debaixo de sol forte e muito calor, mas com muita disposição de luta, as/os manifestantes saíram da praça Centenário, no Farol em caminhada de protesto pelas ruas do centro de Maceió até à Praça Deodoro, portando faixas, cartazes e gritando palavras-de-ordem como “fora Bolsonaro” e “unificou a luta do estudante com o trabalhador”.

Sinteal, trabalhadoras/es em educação e estudantes realizam ato de protesto contra corte de recursos na educação pública

CNTE
Uma das entidades de peso da luta da educação presentes no ato de protesto nacional, a CNTE (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação) publicou nota em que faz um alerta: “O ataque aos recursos da Educação não é somente direcionado às universidades. O total de cortes na educação brasileira, neste ano, impactam todas as áreas do MEC. É preciso dar um ‘BASTA’ ao Governo Bolsonaro, que usa sem pudor a máquina pública em plena campanha eleitoral”.